11 3349-3380 | 2366-3380

Na primeira parte desta série de artigos, vamos buscar sanar a dúvida de muitos moradores e administradores de condomínios: como funciona a Portaria Remota (ou portaria virtual) na prática?

traço-para-destaque-1

 

A Portaria Remota — ou portaria virtual — vem ganhando cada vez mais destaque. Afinal, com a crescente preocupação com a violência que nos cerca hoje no Brasil, precisamos de recursos que ofereçam mais segurança e eficácia.

Um sistema que alia modernidade em serviços especializados e tecnologia de ponta, a Portaria Remota vem se mostrando como uma solução de fato efetiva para promover maior segurança em condomínios verticais ou horizontais, sejam eles residenciais ou empresariais.

Com uso e fama crescentes, além de promover a segurança em diversos tipos de condomínios, o sistema vem sendo utilizado cada vez mais também por sua vantagem financeira.

O sistema de Portaria Remota visa:
– incremento na segurança de moradores e funcionários;
– geração de economia de até 50% nos custos de condomínio.

…..

Observação: este é o primeiro de uma série de artigos que a Interport está publicando para sanar dúvidas sobre o funcionamento prático da Portaria Remota.

Cadastre seu e-mail no final desta página e receba nossa newsletter. Assim você ficará sabendo sempre que um novo artigo for publicado.


 

Os princípios da Portaria Remota

A base para o desenvolvimento da Portaria Remota parte da proposta de se substituir os porteiros presenciais por um sistema que envolve tanto agentes profissionais externos como um sistema integrado de controle de acesso via tecnologia da informação.

Assim, com esse sistema de alto desempenho e o suporte de profissionais especializados, a Portaria Remota controla todo o acesso ao local, monitorando entradas e saídas, portas, portões, garagens e movimentações de pessoas — tudo 24 horas por dia, todos os dias, via banco de dados, sensores diversos, captação de imagens e outros dispositivos de comunicação e monitoramento de acesso.

Os recursos de funcionamento

A Portaria Remota, além de controlar o acesso ao condomínio por todas as entradas e saídas disponíveis, conta com equipe atuante 24 horas, que interagem à distância com o local mediante o uso de dispositivos de leitura de biometria, câmeras de captura de imagens, sistemas de alarme, além de dispor aos condôminos recursos de acionamento de pânico silencioso.

Com o sistema instalado, diante de um sinal de alerta — vindo dos dispositivos ou por decorrência do acionamento do sinal de emergência por um condômino — a Central de Monitoramento toma as ações de segurança estabelecidas, como o acionamento de corporações de segurança pública, como polícia, bombeiros etc.

Os recursos e dispositivos utilizados num sistema de Portaria Remota são diversos, e irão variar conforme o projeto aplicado em cada local.

De um modo geral, podemos citar os principais:

  • Sistema de controle de acesso individual: o principal é a biometria, por meio da qual a pessoa é identificada por suas características físicas únicas. O recurso mais utilizado atualmente é pela digital, embora existam também recursos de reconhecimento facial e até mesmo de leitura de íris. Outros recursos para o controle de acesso que não usam biometria também estão disponíveis, como cartões, tags e aplicativos.
  • Operação de portas, portões e outros acessos à distância: os acessos diversos ao condomínio são permitidos ou não pela equipe de profissionais da Central de Monitoramento — ao invés de ser efetuado por um porteiro no local.
  • Câmeras: transmitem imagens do local para a Central de Monitoramento da Portaria Remota, de onde a equipe de profissionais controla os acessos e demais movimentações. As câmeras são instaladas nos acessos comuns e também em áreas estratégicas. Possuem diversos recursos de captação, tais como visão noturna, microfones direcionais e de alta sensibilidade, além de sensores diversos.
  • Cerca elétrica: instalada para manter a segurança do perímetro do condomínio.
  • Botão e outros recursos de pânico: servem para comunicação imediata de uma ocorrência à Central de Monitoramento, que assim poderá acionar a polícia. Estão disponíveis por botões ocultos e também por biometria (nesse caso, uma determinada digital é registrada como “sinal de pânico”; desse modo, caso um condômino esteja acompanhado de um bandido que o obriga a liberar o acesso, ele pressiona no sensor o dedo específico, comunicando assim a ocorrência do perigo sem que o ladrão perceba).

 


 

Como funciona a Portaria Remota (exemplo em condomínio residencial)

Os protocolos de funcionamento da Portaria Remota decorrem do projeto instalado no local. Visto que as necessidades de cada condomínio — vertical, horizontal, residencial ou comercial — são específicos, cada projeto resulta em procedimentos diferenciados.

Mas, para ilustrar o funcionamento prático de um sistema, vamos usar como exemplo um condomínio residencial (vertical ou horizontal).

Vamos também seguir no exemplo o protocolo mais utilizado: a divisão de rotinas entre moradores e visitantes.

…..

Rotina de entrada para moradores — condomínio residencial:

1. Identificação do indivíduo: por biometria (digital), dispositivos (cartão, tag ou aplicativo), imagens e voz, o morador é identificado;

2. Dados: a biometria, as imagens, voz e demais dados são enviados para a nuvem;

3. Central: a Central de Monitoramento recebe os dados e os analisa conforme o banco de dados e os protocolos de segurança;

4. Entrada: estando tudo correto segundo os protocolos de segurança, a entrada do morador é liberada em instantes.

…..

Rotina de entrada para visitantes — condomínio residencial:

1. Chegada: o visitante aciona o interfone da Portaria Remota;

2. Sinal inicial: o chamado é enviado para a Central de Monitoramento;

3. Identificação: o visitante conversa com o profissional de atendimento da Portaria Virtual, instalado na Central de Monitoramento;

4. Coleta de dados: o profissional de atendimento, conforme o protocolo de segurança estabelecido, coleta dados do visitante (números de documentos, biometria, imagens, voz);

5. Contato com morador: o profissional de atendimento entra em contato com o morador, para quem pedirá permissão para a entrada do visitante (obs.: o contato pode ser efetuado mesmo com o morador não estando no condomínio);

6. Permissão: o morador consente com a solicitação de entrada do visitante;

7. Entrada: o visitante é comunicado da permissão. O acesso físico é liberado eletronicamente.

…..

Nos próximos artigos da série sobre o funcionamento da Portaria Remota, vamos dar outros exemplos de acesso e funcionamento do sistema.

Siga nosso blog. Mantenha-se informado!


 

Cadastre-se

Receba nossas newsletters por e-mail. Seja um dos primeiros a saber sobre novos artigos e outras novidades do mercado.Texto


Share This

Compartilhe

Divulgue este artigo!